a Melhor Postagem já recebida para ir na Beatlemania Experience, muito bom.................

Eu e a Beatlemania por  Antonio Carlos Barbosa Caldas




Meu primeiro contato com os Beatles ocorreu quando tinha 14 anos. Morava na cidade do Rio de Janeiro e havia ganho uma pequena vitrola portátil, porém não tinha nenhum disco para tocar nela.
Meus pais me levaram, juntamente com meu irmão mais velho, Luiz, ao centro da cidade e passamos por uma loja de discos próxima a Rua da Alfândega.
Foi lá que vi uns compactos simples coloridos, isso mesmo, compactos, de uma banda chamada Beatles (imagem abaixo).














Foi amor à primeira vista. A cada audição, meu interesse pela banda aumentava e a vontade de completar os 26 discos era imensa. Eu e meu irmão nos revezávamos na compra dos compactos, pois não tínhamos renda fixa na época e cada aquisição era comemorada como uma final de copa do mundo.
Lembro-me bem de que alguns dos compactos adquiridos foram bem difíceis de encontrar. Rodava todas as lojas de discos de Copacabana, bairro onde morava, ansioso por encontrar a peça que faltava para finalmente completar a nossa coleção.
A alegria de cada aquisição só não era maior do que o prazer de ouvir cada nova música no pequeno aparelho.
O amor e a admiração pela banda só fizeram aumentar com o tempo. Confesso que ao longo dos anos, descobri e curti novos artistas e bandas, ouvi muita música, fui em muitos shows, mas o lugar dos Fab Four em minha vida está intacto.
Agradeço todos os dias a oportunidade de ter sido iniciado na música por esses maravilhosos compactos, de 45RPM, coloridos, com uns “besouros” na contra-capa e que me ajudaram a ser quem sou, com toda certeza.
Com o tempo, me tornei um colecionador de itens modesto, mas que comemora cada aquisição com muita alegria, curtindo cada novo item como uma criança comemora a chegada de um novo brinquedo.
Quem me conhece sabe do meu amor pela banda, compartilha tudo comigo, me mantém informado, enfim, divide comigo essa imensa alegria que é ter alguma coisa boa como referência.
E é essa referência que eu tenho tentado passar aos mais jovens, sem imposição nem fanatismo, apenas dividindo e compartilhando o amor pela banda e mostrando a influência que teve sobre a cultura pop mundial nos últimos cinquenta anos.
E quando digo dividir, digo dividir mesmo, pois aprendi a exercitar o espírito de colaboração, dividindo alguns itens com jovens colecionadores iniciantes, pois sei o quanto é importante ter apoio quando se inicia o amor por alguma coisa. O sorriso e a alegria de ver uma memorabilia sendo iniciada realmente não há dinheiro no mundo que pague.
Hoje tenho esposa e filhos, que dividem harmoniosamente comigo essa paixão pela banda, reconhecendo a sua importância no cenário musical e social há tantos anos.
A boa notícia é que apesar dos 38 anos passados, conseguimos preservar os disquinhos, pois eles são e serão sempre a prova do início desse amor.

1 Comentários:

Mica disse...

Olá, Boa tarde,temos aqui em casa toda essa coleção dos 26 discos. Foi deixada de herança pelo meu pai. Estão completamente novos, quase nunca ouvidos por motivos de ciúmes por parte do meu pai. Como não achei muita coisa a respeito dessa coleção, gostaria de saber o valor, Se caso eu fosse vendê-la, vc teria comprador? Obrigada

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Internet Designer | Blogge by iPosts - Premium Blogger Themes | Facebook Themes