Conheça BIG BOY



Nasceu Newton Alvarenga Duarte, em 1º de junho de 1943, carioca do Flamengo e torcedor do time de futebol homônimo, filho de D. Eulália e Sr. Alayr;

. Começou a colecionar discos quando tinha doze anos, em plena era do rock’n’roll;

. O rádio, naquela época, era o principal meio de contato com o cenário musical e o garoto Newton sintonizava a Rádio Mayrink Veiga para ouvir programas como “Hoje é Dia de Rock”, “Hora da Broadway” e “Your Make Believe Ball Room”, programas que marcaram essa geração pré-64;

. Ainda adolescente viajava para São Paulo escondido dos pais para comprar discos de rock importados só encontrados por lá. Na volta, marcava ponto na frente da Rádio Tamoio para trocar informação e mostrar aos programadores as novidades da música pop internacional;

. Em 1965 entrou para a faculdade de geografia da Escola Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil, atual UFRJ. Formou-se professor em 1968 e começou a dar aulas no CAp UFRJ;

. No início de 1966, após um breve estágio onde cobriu as férias de um programador, foi contratado pela da Rádio Tamoio;

. Em 1967 é contratado pela Rádio Mundial, 860 AM, nova aquisição do grupo O Globo, cujo o comando de restruturação havia sido entregue ao jornalista e poeta Reynaldo Jardim. Nos primórdios do processo de segmentação do mercado midiático a 'Superquente Mundial' investe no público jovem e inclui em sua programação, entre outra inovações, programas temáticos de curta duração, entre os quais o “Programa Big Boy”, dedicado a talentos da música pop internacional que haviam estourado nas paradas mas ainda não tinham uma carreira consolidada. A produção era de responsabilidade de Newton, que não se conformava com a locução formal e impostada dos locutores da época, que ele achava não combinar com o estilo das músicas veiculadas no programa. Reynaldo então sugeriu que o próprio Newton assumisse o microfone. "Big Boy é você!", teria dito. Apostava nele para a expansão do público da rádio. Tímido, asmático e dono de uma voz rascante, Newton definitivamente não tinha o perfil de um candidato à vaga de locutor, para os padrões da época. E, como ele mesmo admitiu em uma auto-crítica publicada anos mais tarde, sua estreia foi desastrosa: “Ficou meio canastrão. Tentei impostar a voz...” Mas encarava o desafio como uma preciosa oportunidade de exercer aquilo que realmente tinha prazer em fazer: falar sobre música;

. A aposta e os conselhos de Reynaldo Jardim levaram Newton a gradualmente desenvolver um estilo peculiar. Assumindo a euforia e abusando da estridência na voz, criou gírias e expressões em inglês e compôs um tipo inusitado, com características muito diferentes do tímido Newton. A louca sonoplastia servia para dar o tom, mas seu maior trunfo era a qualidade dos programas que produzia, que só tocavam músicas de sua discoteca pessoal. E em poucas semanas o programa já era líder de audiência entre os jovens. Surgia o Big Boy, personagem que se transformaria no grande arauto das novidades do panorama da música popular mundial e que tornou-se uma das personalidades mais marcantes do rádio brasileiro, responsável por uma verdadeira revolução no estilo de comunicação com o público jovem;

. “Hello crazy people, Big Boy rides again!”. E assim, por mais de uma década o “lunático-embrasado-elétrico apresentador da Superquente Mundial” começava a locução de seu programa Big Boy Show transmitido de segunda a sexta-feira inicialmente da 15 às 16 horas e depois das 18 às 19 horas. Aos sábados, no mesmo horário, comandava o Cavern Club, integralmente dedicado aos Beatles. Em seguida passou a apresentar também o 'Ritmos de Boite', que ia ao ar de dez às onze da noite e onde inovou mais uma vez ao tocar “músicas agitadas” em um horário onde antes era permitido apenas música erudita ou 'lounge music'.

. Em 1 de junho de 1967, dia de seu aniversário, Big Boy ganhou absoluta notoriedade entre a juventude carioca ao executar na íntegra, em lançamento simultâneo no Brasil e na Inglaterra, o álbum 'divisor de águas' da música pop internacional Sgt Peppers Lonely Hearts Club Band, dos Beatles. O acontecimento ficou marcado na história do rádio brasileiro e serviu para consagrá-lo definitivamente como disc-jockey,

. Em 1970, expande sua atuação e passa a assinar em O Globo a coluna especializada em música 'Top Jovem',

. Também em 1970, foi procurado pelo amigo Ademir Lemos, então discotecário da badalada boite carioca Le Bateau, com a ideia de criar um evento voltado para o público adolescente que não podia frequentar as boites noturnas. Dessa interação surge o Baile da Pesada do Canecão, evento que passa a lotar a tradicional choperia da zona sul carioca em efervescentes tardes de sábado com cinco mil jovens dançando animadamente ao som da música pop internacional;

. Inovação na inovação, antes e durante as apresentações da dupla de DJs o público podia assistir ainda a projeções de film-clips internacionais (os precursores dos videoclipes atuais, produzidos em película de 16mm) da coleção de Big Boy com grandes astros e bandas de rock;

. Com a bem-sucedida aventura no Canecão os bailes ganharam caráter itinerante e Big Boy, agora sem Ademir, monta sua própria equipe de som e se apresenta em concorridos bailes nos subúrbios cariocas que reuniam uma legião de seguidores. Os Bailes da Pesada chegaram a mais de 300 edições e contribuíram para a disseminação de outras equipes de som e para propagação dos ritmos da chamada Black Music no Brasil;

. Em uma outra investida Big Boy lança discos, LPs, com coletâneas de músicas onde ele selecionava o repertório e gravava locuções e vinhetas que eram mixadas às faixas. Recriava assim o ambiente de seus programas no rádio e disponibilizava uma parte do repertório tocado nas festas. Foram lançados quatro discos: Baile da Pesada (Top Tape, 1970), ainda com Ademir, Big Baile com Big Boy (Top Tape, 1971), Baile da Cueca (CID, 1972) e The Big Boy Show (RCA, 1974);

. Em 1971 é contratado pela TV Globo para integrar o Jornal Hoje como repórter especial falando sobre música internacional e entrevistando artistas da música popular brasileira. Também exibia ali film-clips de seu acervo pessoal, muitos deles ainda inéditos no Brasil, que faziam enorme sucesso;

. 1972 é um ano de muitos começos. Logo no início do ano participou do elenco do programa Chico Anysio Linguinha & Lingote como o personagem 'Índio Jerônimo'. Em maio, casa-se com Lúcia Maria, com quem vem a ter dois filhos. Durante a lua-de-mel, é apresentado a James Brown, após assisti-lo em um show no Olympia, em Paris. Desse encontro surge uma camaradagem entre ambos e Mr. Brown, que chegou a gravar várias vinhetas anunciando o programa Big Boy, o recomenda pessoalmente a produtores americanos de soul music e lhe indica lojas underground em Nova York e Los Angeles, o que faz com que ele aprimore seu “garimpo” musical, como costumava dizer, e incorpore preciosidades únicas à sua discoteca. O encontro também resultou na vinda do king of the soul ao Brasil em 1974 para uma apresentação no Canecão. Em Julho, é contratado como produtor musical pela gravadora Odeon. Também em julho, estreia seu novo programa semanal na TV Globo, Hello Crazy People!, onde apresentava as novidades musicais do momento. Exibido aos sábados, tinha o importante diferencial de ser gravado inteiramente em cores, numa época em que a maior parte da programação da TV ainda era em preto-e-branco;

. Em 1973 Big Boy assumiu a direção artística da rádio Eldorado FM, do Sistema Globo de Rádio, uma das primeiras emissoras em FM no Brasil. Ali criou a Eldopop, uma rádio de vanguarda que executava discos inteiros de rock progressivo sem intervalos comerciais ou locuções. As músicas, trazidas principalmente da Europa, empolgavam os ouvintes e criavam até rodas de debate sobre sua autoria, já que os intérpretes nunca eram revelados. Os fãs mais empolgados gravavam a programação e depois se reuniam para tentar adivinhar que discos eram aqueles;

. Nesse mesmo ano de 1973, estreou nas tardes de domingo o programa Papo Pop, na TV Record de São Paulo, onde se apresentavam artistas de vanguarda como Raul seixas e onde foram lançados grupos como Secos & Molhados e Joelho de Porco;

. Em 1974 nasce Leonardo, seu primeiro filho. Também em 1974 começa a escrever a coluna “Papo Pop” na Revista Amiga, da editora Bloch, especializada em cobertura de assuntos de televisão, do rádio e do mundo da música;

. Em 1976 nasce Leandro, seu segundo filho, e em agosto ele estreia um programa na rádio Excelsior de São Paulo;

. 1977. Morre de infarto, provocado por uma crise asmática, em 07 de março, aos 33 anos.Foi ao ar na TV Globo a primeira edição do programa Rock Concert – o último produzido por Big Boy e exibido postumamente. O programa, uma edição de turnês de grandes artistas da música internacional foi narrado pelo cantor Gileno (o Leno da dupla Leno & Lilian). Também póstuma, é publicada em 18 de março sua última coluna em O Globo, a qual falava sobre o grupo de rock progressivo Gênesis que viria ao Brasil.

2 Comentários:

Luiz Cezar Wanderley disse...

Big boy tinha um gosto refinado pela música pop e era uma referência para mim na minha adolescência. Não era possível compartilhar o brilho de seus bailes e o seu refinado gosto pelas músicas que selecionava em seus bailes com minha namorada devido aos hábitos da época, nossa idade e horário dos bailes.
Sinto falta de sua presença.Influenciou muito no meu gosto musical até os dias de hoje. Se foi cedo demais.

Luiz Cezar Wanderley disse...

Big boy tinha um gosto refinado pela música pop e era uma referência para mim na minha adolescência. Não era possível compartilhar o brilho de seus bailes e o seu refinado gosto pelas músicas que selecionava em seus bailes com minha namorada devido aos hábitos da época, nossa idade e horário dos bailes.
Sinto falta de sua presença.Influenciou muito no meu gosto musical até os dias de hoje. Se foi cedo demais.

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Internet Designer | Blogge by iPosts - Premium Blogger Themes | Facebook Themes